ENDELEZA E ATHLETICO PARANAENSE

Nota de esclarecimento sobre as Medalhas da Copa Sulamericana

A conquista da Copa Sulamericana marcou não só a história do Athletico Paranaense, nosso parceiro, mas também cada torcedor que se emocionou ao acompanhar a final e transbordou de felicidade ao comemorar o título. A medalha é parte de um dos capítulos mais emocionantes do clube, como o primeiro grande título internacional, mas também é um novo capítulo da história de muitas crianças que estão do outro lado do oceano, no Quênia.
O Athletico foi campeão, viu a torcida se chamar de campeã e viu os pequenos craques quenianos que ele apoia se sentirem campeões também.

A Escola Furacão Mugae, que fundamos em parceria com o clube em 2017, é a primeira escola de futebol de um clube brasileiro no continente Africano. O projeto, que fica na nossa Escola Primária Sustentável, tem sido acompanhado pelo CAP e pela torcida desde então e já fez muita diferença na vida das crianças impactadas.


Ano passado, nas nossas redes e nas do clube, muitos torcedores acompanharam a história do Dennis, um menino de 13 anos que além de primeiro da turma na sala de aula é o principal talento do time de futebol da Escola Furacão. Dennis vive num país onde não existe ensino gratuito e quase metade da população vive abaixo da linha da pobreza. Na região da Escola Furacão, não existe energia elétrica, saneamento básico ou acesso a saúde e as crianças que querem ir para escola precisam pagar por taxas escolares até mesmo na rede pública. Além disso, muitas famílias não conseguem se alimentar adequadamente e vivem com menos de R$200 por mês, como é o caso do Dennis, que vive com sua mãe e 4 irmãos com esta quantia.

O Athletico, que acompanhou a criação da Escola Furacão e viu de perto as dificuldades enfrentadas pela comunidade, se comoveu e optou por ajudar a mudar a narrativa da Escola Primária Sustentável e escrever uma nova história com seus alunos.

Após a grande conquista da Sulamericana, medalhas extras originais foram encomendadas, um direito do CAP como campeão, para serem entregues a colaboradores e membros da comissão técnica que não haviam recebido na entrega do título.  As medalhas extras restantes foram então reservadas para serem destinadas a projetos sociais, entre eles a nossa Escola Furacão e seus pequenos craques. O objetivo do clube era fortalecer sua atuação e gerar impacto social positivo, aqui no Brasil e do outro lado do oceano também.

A ideia surgiu após duas visitas de colaboradores do clube ao Quênia e tinha como objetivo ajudar na nossa captação de recursos, já que dependemos de contribuições recorrentes e pontuais para manter nossos projetos. Nós traçamos, então, estratégias de mobilização que tinham as medalhas como recompensa para doações. O valor captado será então destinado à manutenção da Escola Furacão (salário do treinador, limpeza dos uniformes, alimentação dos alunos), melhorias nas condições do campo e compra de novos materiais, reserva em um fundo para criação de uma nova Escola Furacão na região e também seria utilizado para garantir educação e alimentação gratuitas para todos os 242 alunos na Escola Primária Sustentável.


Nossos parceiros do CAP também estão escrevendo sua história fora das quatro linhas. Com eles, nossos alunos se tornaram campeões também, assim como todos que colaboraram com nossos projetos para que isso acontecesse.


Equipe Endeleza

Para mais esclarecimentos: www.athletico.com.br/
Publicado em 30/03/19 às 19h00.